Xangô

O orixá da justiça.

Pontos de XANGÔ

001-XANGÔ DAS CACHOEIRAS

Pedra rolou Pai Xangô,
Lá na pedreira,
Firma seu ponto meu Pai,
Na Cachoeira! (bis)

Tenho o meu corpo fechado,
Xangô é meu protetor,
Afirma o ponto meu filho,
Pai de Cabeça chegou. (bis)

002-SENTADO NA PEDREIRA

Sentado na Pedreira de Xangô,
Eu fiz meu juramento até o fim.(bis)

Se um dia eu quebrar,
A jura meu Senhor,
Que role essa pedreira,
Sobre mim. (bis)

003-LIVRO DE XANGÔ

No alto daquela pedreira,
Tem um livro que é de Xangô.(bis)

Kaô... Kaô...,
Kaô..., Kabecila meu Senhor. (bis)

004-SENHOR DO MEU DESTINO

No alto da pedreira está Xangô,
Senhor do meu destino até o fim.(bis)

Meu Pai, se eu perder,
A fé que Deus me deu,
Que role essa pedreira sobre mim. (bis)

005-RELAMPEJOU, TREMEU A TERRA

Relampejou...
Tremeu a terra!...
Meu Pai Xangô,
Do alto da serra.(bis)

Kaô ô ô... Kaô ô ô
Vem ajudar,
Os seus filhos,
Aqui na terra. (bis)

006-PONTO DE XANGÔ
(na irradiação dos congos)

Kenguelê, kenguelê Xangô,
Ô, ele é filho da Cobra Coral.(bis)

Olha preto tá trabalhando,
Olha branco não tá olhando.(bis)

007-A SUA MACHADINHA BRILHOU

A sua machadinha brilhou,
A sua machadinha brilhou,
Quem manda lá na mata é Oxóssi,
Quem manda na pedreira é Xangô.(bis)

008-

Kaô, ó meu Pai Xangô,
Cura a minha dor,
Que é o mal de amar.
Kaô Kabelecile!
Clamo p'ra Mecê vencer,
Que é pra não deixar,
Nosso amor morrer.
Kaô, Kaô.(bis)

Vou levar na pedreira oferenda,
P'ra que Pai Xangô me atenda,
Fazendo o meu pranto cessar.
Pois a fé que eu carrego é de pedra,
E a pedra é um pedaço do Reino,
Do meu glorioso Orixá.
Kaô, Kaô.(bis)
XANGÔ VENCEDOR

Por detrás daquela serra,
Tem uma linda cachoeira,
É de meu Pai Xangô,
Que arrebentou sete pedreiras.(bis)

É água nascendo na fonte o destino raiou,
Do seu mêdo escondido, nasceu a coragem de ser vencedor,
Pondo uma mão no peito, o escudo mais fiel,
De quem na terra concebeu o céu.

São sete pedreiras que ele aprendeu a quebrar,
Na faísca da fúria no raio da chuva a luz do luar,
Lavou o corpo com o vinho amargo do suor,
Que vem do próprio bem de todos nós, inda mais que melhor.

UBIRATÃ DAS MATAS

Eu fui a coroa do índio,
Coroação do meu Pai Xangô,
Era Ubiratã das Matas,
Traz o manto da Mamãe Oxum. (bis)

Brilhou uma estrela no céu,
E lá na mata meu conga clareou,
Saravá meu Pai Ogum, Ogunhê!
Sarava Mamãe Oyá, Eparrê!
Sarava Pai Oxalá, Epa Babá!
Sarava Mãe Yemanjá, Omiodô!
Salve o povo da Umbanda,
Dentro desse jacutá.

XANGÔ NA PEDREIRA É REI

Xangô na cachoeira é rei, é rei
Xangô na pedreira é rei...(bis)

Eu rezei forte, pedi em minha oração,
Para os homens muita paz e compreensão,
Para os enfermos a saúde,
Para o campo o aroma da flor,
Para o prisioneiro a liberdade,
E para o povo muita paz e amor.(bis)

010-QUEM ROLA PEDRA

Quem rola pedra na pedreira é Xangô,
Quem rola pedra na pedreira é Xangô,
Kaô na Coroa de Zambi é Xangô,
Na Coroa de Zambi é Xangô,
Na Coroa de Zambi é Xangô.

011-ELE ESCREVEU JUSTIÇA

Xangô Kaô numa certa idade,
Morreu sentado,
Em cima de uma pedra,
Ele escreveu justiça,
Quem deve paga,
Quem merece recebe.

012-XANGÔ DO FOGO

Quem quiser saber meu nome,
Me chamo Xangô do Fogo,
Me chamo Xangô do Fogo,
Na linha de Naruê,
Lá Naruê, lá Naruê, lá Nareuá,
Meu Pai Xangô.

013-DEIXA ESSA PEDREIRA

Xangô Kaô,
Deixa essa pedreira aí.(bis)

A Umbanda está lhe chamando,
Deixa essa pedreira aí.(bis)

Xangô meu pai,
Deixa essa pedreira aí.(bis)

O gongá está lhe chamando,
Deixa essa pedreira aí.(bis)

014-O MEU PAI DA PESADA

Sexta-feira à meia noite,
Eu fui lá na encruzilhada,
Acendi duas velas,
Chamei o meu Pai da pesada,
Saravá, saravá, saravá,
É a força do meu Pai Xangô, ô, ô,
Ô, ô, Xangô é o meu protetor.
No fundo do mar tem areia,
Segura esse ponto e não bambeia.

015-AO ROMPER DO DIA

Na minha mata ao romper do dia,
Veados correm e pássaros em revoada,
Ao longe alguém está cantando,
São os meus filhos,
Que distante estão chamando.
Pego o meu arco,
A minha flecha,
Sou pedra lisa e venho saravá...
kenguelê Xangô,
Kenguelê meu Pai,
Salve este Terreiro!
Salve este Congá!

016-MEU PADRINHO É XANGÔ

Chegou o Rei dessa Terreira,
Dono das Sete Pedreiras,
Com sua capa bordô!
Ô, ô, ô,... Ô, ô, ô,...
Mas ele é Xangô.

Olelê, olelê Kaô, ô, ô,
Olelê, olelê Kaô, ô, ô,
Olelê, olelê Kaô, Kabelecile,
Olelê, olelê Kaô.

Dizem que meu pai é Ogum, Ogum,
Que minha mãe é Oxum,
Que minha madrinha é Iansã,
E meu padrinho é Xangô.

O le lê, o le lê Kaô, ô, ô,
O le lê, o le lê Kaô, ô, ô,
O le lê, o le lê Kaô, Kabelecile,
O le lê, o le lê Kaô.

017-QUEM DEVE PAGA

Xangô morreu bem velhinho,
Sentado em cima de uma pedra. (bis)

Morreu pedindo a justiça,
Quem deve paga,
Quem merece recebe. (bis)

018-SÃO JERÔNIMO

Quem é que está na mata?
É São Jerônimo,
Escrevendo sua Bíblia,
No meio destas feras...

Segura meu irmão,
Que eu não tenho medo,
A boca destas feras,
É a chave de São Pedro (bis)

019-LAMENTO PRA XANGÔ

Xangô, Xangô, meu pai, Xangô (bis)
Ô ô ô ô ô, ô ô ô ô ô
Maleime meu pai,
Maleime Xangô (bis)
Xangô mora na pedreira,
E manda relampear,
Obá Kabeci Obá, Xangô
Saravá Xangô, saravá Xangô.(bis)

020-LINHA DE XANGÔ

Xangô, Xangô, Xangô meu pai,
Quando a vossa pedra rola,
Filho de Umbanda não cai!
Quando a vossa pedra rola,
Filho de Umbanda não cai!
Xangô está no Reino,
Para seus filhos salvar,
Traz na mão uma justiça,
E uma pedra pra rolar.(bis)

021-XANGÔ DAS MATAS

Cachoeira das matas virgens,
Onde mora meu Pai Xangô (bis)

Sambaruê Nanã Buruquê,
Sambaruê, saravá Xangô,
Saravá Xangô, ô ô ô ô ô ô ô a
Quem é filho de pemba,
Bate cabeça lá no congá (bis)

022-LINHA DE XANGÔ

Eu vi meu Pai Xangô descendo a serra,
Mas ele vem, beirando o mar,
Deixando sua pedreira lá em cima,
Kaô Kabecila,
Deixando sua pedreira lá em cima,
Kaô Kabecila.(bis)

023-XANGÔ AGANJÙ

Saravá velho São Pedro,
O que zoa...
Zoa que, zoa zoá,
Com sua chave na mão, o que zoa,
Zoa que zoa zoá,
No terreiro ele é Xangô Aganjú, ô ô ô
Dia 29 de junho,
Filhos de fé te dão lodo.(bis)

024-XANGÔ DO ACARAJÉ

Quem rola pedra na pedreira é Xangô,(bis)
Xangô do Acarajé, do Acarajé ô.(bis)

025-CHAMADA GERAL PRA XANGÔ

Xangô já beribô na aldeia,
Xangô já beribô na aldeia...

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

Seu Agodô, já beribô na aldeia,
Seu Agodô, já beribô na aldeia...

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

Seu Alafin, já beribô na aldeia,
Seu Alafin, já beribô na aldeia...

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

Seu Aganjú, já beribô na aldeia,
Seu Aganjú, já beribô na aldeia...

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

Seu Cambará, já beribô na aldeia,
Seu Cambará, já beribô na aldeia..

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

Seu Djacutá, já beribô na aldeia,
Seu Djacutá, já beribô na aldeia...

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

Xangô Kaô, já beribô na aldeia,
Xangô Kaô, já beribô na aldeia...

Kaô Ogunhainha, Ogunhainha ô ô,
Ogunhainha (bis)

026-OLHA A SUA BANDA

O Gino, olha a sua banda,
O Gino, olha o seu conga.(bis)

Aonde o rouxinol cantava,
Aonde Xangô morava. (bis)

Ele é Gino da Cobra Coral,
Ele é Gino da Cobra Coral,
Ele é Gino da Cobra Coral,
Kaô. (bis)

027-XANGÔ DO OURO

Sua machada é de ouro,
É de ouro, é de ouro.(bis)

Machadinha que corta mironga,
É machadinha de Xangô.(bis)

028-PAI XANGÔ

No alto da pedreira está Xangô,
Senhor do meu destino até o fim (bis)
Se um dia me faltar, a fé que Deus me deu,
Que role esta pedreira sobre mim (bis)

029-XANGÔ CORISCO

Xangô é Corisco,
Que nasceu na trovoada (bis)
Ele deita na pedreira,
Levanta de madrugada (bis)

030-LINHA DE XANGÔ

Quem rola pedra na pedreira,
É Xangô.
Quem rola pedra na pedreira,
É Xangô. (bis)

Vibrou na Coroa de Zambi,
Vibrou na Coroa de Zambi,
Vibrou na Coroa de Zambi,
É Xangô (bis)

031-XANGÔ CAPA BORDÔ

Chegou o Pagé das Pedreiras,
Que vem na terreira,
Com sua capa bordô, ô, ô, ô, ô,
Ele é Xangô, ele é Xangô (bis)

032-XANGÔ AGODÔ

Lá detrás daquela serra,
Tem uma linda cachoeira (bis)
Onde mora Xangô Agodô,
Que rebentou sete pedreiras (bis)

033-XANGÔ DA JUSTIÇA

Lá em cima daquela pedreira,
Tem um livro que é de Xangô. (bis)

Kaô, Kaô, Kaô Cabecile Pai Xangô (bis)

034-XANGÔ CARIRI

Na beira do cariri,
Xangô estava sentado,
Com Iansã e Oyá,
E Santa Bárbara ao seu lado.

035-DESCARREGO-VIBRAÇÃO DE XANGÔ

Xangô, é feiticeiro,
Xangô, vem pro terreiro (bis)
Xangô Oi ! Xangô Oi !
Xangô vem me ajudar.
Xangô Oi ! Xangô Oi !
Xangô vem me ajudar.
A tirar a macumba do filho,
Se o filho não pode tirar (bis)

036-XANGÔ AGODÔ

Xangô, olhai vossos filhos meu pai,
Xangô de lá do seu reino meu pai!(bis)
Kaô Cabecy Xangô, meu pai,
Kaô Agodô Xangô, meu pai.(bis)

037-GIRA DE XANGÔ (desenvolvimento)

Xangô de Ará, Orô,
Ogum lhe corou.(bis)

Filho de pemba a Umbanda chora,
Xangô que vem agora.(bis)

Oh! Vem na gira,
Deixa a gira, girá...
Oh! Vem na gira,
Deixa a gira, girá...(bis)

038-XANGÔ DE GUERRA

Eu vi Santa Bárbara e Xangô,
Sentados em cima da pedra,
Rezando para todos os seus filhos salvar...
Xangô é homem que vai a guerra,
Xangô é homem que vai a guerra.

039-XANGÔ DA PEDREIRA

Estava olhando a pedreira,
Uma pedra rolou.(bis)

Ela veio rolando.
Bateu em meus pés,
E se fez uma flor.(bis)

Quem foi que disse,
Que eu não sou filho de Xangô.(bis)
Ele mostra a verdade,
Se atira uma pedra,
Ela vira uma flor.(bis)

Toda a verdade, de justiça e proteção,
Filho de Pai Xangô, ninguém joga no chão.
(bis)
Uma pedra de lá, é um lírio pra mim,
Uma pedra de lá, é um lírio pra mim.(bis)

040-XANGÔ CIDADE LUZ

Dizem que Xangô, mora na pedreira,
Mas lá não é sua morada verdadeira (bis)
Ele mora na cidade da luz,
Onde mora Santa Bárbara,
Oxumaré e Jesus (bis)

041

SÚPLICA A XANGÔ

Eu pedi a meu Pai Xangô,
Que me tirasse dessa aflição,
Olha que eu sou bom filho,
Que tenho paz e amor no coração (bis)
Sofrer como eu sofri,
Só mesmo um filho de fé,
Eu agradeço a meu Pai Xangô,
Que a bonança voltaria e voltou (bis)

042

REZA PRA XANGÔ

Kaô, amorwjé jewá,
Kaô, amorwjé jewô,
Kaô Kaô Odilê, Odilá,
Kaô Cabelecile, Odilê, Odilá.

043

XANGÔ KAMWKAI (DO FOGO)

Kaô, Kabecy, Xangô,
Umbanda saudou,
Kamwkai Xangô (bis)

Kaô pedreira estourou,
Céu a trovoar,
Xangô vai baixar.
Vou botar na pedreira oferenda,
Para que Pai Xangô me atenda,
Fazendo o meu pranto secar...
Kamwkai é o dono do fogo,
Ele vem pra terreira de novo,
Para todos os males queimar...
Kaô, Kaô...

044-XANGÔ MUSSUSSÚ

Kaô Cabecile, é de Mussussú,
Olha como ele vem,
É de Mussussú,
Olha como ele vem (bis)

É de Mussussú,
Olha como ele vem,
Kaô Cabecile,
Olha como ele vem (bis)

045

XANGÔ DAS CACHOEIRAS

Pedra rolou Pai Xangô,
Lá na pedreira...
Afirma o ponto meu pai,
Na cachoeira ! (bis)
Tenho o meu corpo fechado,
Xangô é meu protetor,
Afirma o ponto meu filho,
Pai de Cabeça chegou...(bis)

046

REZA PARA XANGÔ BAY

É de Xangô Baý,
Oyá Dokô, é de Aganjú,
Cabelecile, Xangô Baý (bis)

( É de Xangô Baý, )
( Oyá Dokô,)
( Aganjú, Cabelecile,)
É de Xangô Baý. (bis))

047

CHAMADA GERAL

Xangô rolou a pedra na pedreira,
No mar se estende o manto de Iemanjá,
Mamãe Oxum, gritou na cachoeira,
E a espada de Ogum a batalhar.
Ogum Megê, vem de Aruanda,
Seus filhos proteger. (bis)

048

CHAMADA GERAL PARA XANGÔ

Oi lê lê, oi lê lê Kaô...
Oi lê lê, oi lê lê Kaô...
Oi lê lê, oi lê lê Kaô Cabelecile !...
Oi lê lê, oi lê lê Kaô Cabelecile meu pai !

049

PONTO CANTADO DE XANGÔ

Lá na alto da pedreira está Xangô,
Senhor do meu destino até o fim. (bis)

Se um dia eu não quiser,
A fé que ele me der...
Que caia esta pedreira sobre mim. (bis)

050

PONTO DE XANGÔ
(prece, defesa e descarga)

Pererê Xangô,
Oi perê Xangô na calunga...
Segura filhos de Umbanda,
Não deixa a Umbanda cair.

051

PONTO DE XANGÔ
(na irradiação de Ogum)

Lá no alto da pedreira,
A Jurema assentou...
Ogum, Ogum...
Salve, nosso Pai Xangô.

052

PONTO DE XANGÔ
(exaltação)

Quando a lua apareceu,
O leão na mata roncou,
A passarada estremeceu,
Olha a cobra coral que piou, piou, piou...
Olha a cobra coral piou.
Salve o povo de Ganga ô,
Chegou, seu rei de Umbanda,
Saravá, meu Pai Xangô.

053

XANGÔ ( ponto da falange – Salvando )

Ô... Ganga ô!...
A terra é da Jurema,
O machado tem bom corte,
O leão é lá das matas,
A pedra é tão forte,
E o Rei é Xangô!...

054

PONTO DE XANGÔ
(descarga ou advertência)

Pedra rolou, Xangô... na cachoeira!
Segura a pedra meu pai!...
Lá na pedreira.

055

PONTO DE XANGÔ
(descarga ou demanda)

Lá no alto da pedreira,
A faísca vem rolando...
Agüenta a mão cabra de força,
Que a faísca vem queimando.

056

PONTO DE XANGÔ

O ronco da pedreira,
Ecoou lá na mata!
Ecoou lá na mata!
O ronco da pedreira,
Ecoou lá na mata!
Ecoou lá na serra!
Todo o povo de Xangô,
Chegou cá na Terra!
Chegou cá na Terra!
Todo o povo de Xangô,
Chegou para a Guerra!
Chegou para a Guerra!

057

PONTO MÁXIMO DE XANGÔ

De... delocá, delocá, auê...
Xangô, olha Ogum Dê ô Dê...
Olha Ogum Dê Lê...
Xangô!...
Olha Ogum Dê ô Dê,
Olha Ogum Dê Lê...

058

PRECE DE XANGÔ
(pedido de misericórdia)

Xangô de Lo ê ê...
Xangô de Lê ô... (bis)

059

PONTO DE XANGÔ
(Pretos – Velhos )

Estava sentado na minha tarimba,
Estava rezando pra Xangô...
Bateram na porta, alguém me “chamô”...
Bateram na porta, meu mano “chamô”.(bis)

060

PONTOS DE XANGÔ

Eh... Xangô maior!
Xangô da lei maior!
Na canjira de Umbanda,
Inda lolô, Xangô da lei maior.

061

Voltei a sorrir...
De contentamento.
Pedi para Xangô...
Fui atendido.

Em meu lamento...
Xangô, o Senhor é pai!...
Xangô levanta filho que cai!

062

Deu um relâmpago...
Deu uma ventania...
E ouviu-se um trovão...

Era a rainha dos astros,
Com pai Xangô,
Que mandava sua bênção.

Kaô, Kaô, Eparrei!
De vós espero,
O que tanto precisei.

063

Pererá, Xangô, na calunga,
Pererà, Xangô !...
Pererà nosso pai...
Toma conta dos filhos caburé. (bis)

064

Xangô tá no reino!...
Ele veio das ondas do mar!...
Ele é papai labié,
Ele é pombinho sem fel.
(chamar pelo nome da entidade)
Nosso pai, nos diz o que quer,
Nos diz quem és,
Nos diz o que quer. (bis)
065

PONTO DE XANGÔ
(NA IRRADIAÇÃO DE OXALÁ)

Ó salve a mesa de Xangô!...
Ó salve os santos da Bahia,
Junto com seu vatapá.
................................
Não há baiano seguro,
Que não carregue patuá. (bis)

066

PONTO DE XANGÔ

Por detrás daquela serra,
Tem uma linda cachoeira!
Onde mora Xangô, Kaô!...
Onde mora Xangô, Kaô!...

067

PONTO DE XANGÔ
(Caboclos)

Bamba aruê,
A terra é da Jurema...(bis)
O leão veio das matas...
O meu grito é muito forte...
Meu machado tem bom corte...
O meu rei é Xangô.

068

PONTO DE PROTEÇÃO DE XANGÔ

Caminhava eu...
Por uma linda cachoeira...
Quando olhei pra cima,
Vi Xangô na pedreira!...
Fui saravá,
Meu Pai Xangô,
Pedi maleme,
Saúde, paz e amor. (bis)

069

PONTO DE XANGÔ

Já trovejou, lá na pedreira...
Meu Pai Xangô,
Já vem chegando!
Salve Iansã!
Salve Mamãe Oxum!
São Orixás donos da cachoeira.
Kaô, Kaô Cabecilê!
Meu Pai Xangô é Orixá,
Que ensina ler e escrever.

070

PONTO DE AGRADECIMENTO A XANGÔ

Eu pedi a meu Pai Xangô...
Que me tirasse desta aflição!
Olha que seu bom filho,
Tem fé e lhe traz no coração!...

Sofrer como eu sofri...
Só mesmo um filho de fé.
Hoje agradeço a Xangô...
Eu tinha esperança,
Que a bonança voltaria...
E voltou. (bis)

071

PONTOS DE XANGÔ

Encruza, encruza,
Na fé de Alafim, encruza!
Encruza, encruza,
Na fé de Aganjú, encruza!
Encruza, encruza,
Na fé de Alafim, encruza!
Encruza, encruza,
Na fé de Abomi, encruza!

072

Como cheira a banda!
Cheirou!...
À guiné e arruda!
Como cheira a banda!
Cheirou!...
Olha o cheiro, Xangô!
Olha o cheiro!
É de guiné!
Olha o cheiro, Xangô!
Olha o cheiro!
É de arruda!
Tem obí, tem orobô!
Cheirou, cheirou, cheirou!
Tem arruda, tem guiné!
Cheirou, cheirou, cheirou!

073

Povo de Umbanda,
Vem ver os irmãos teus!
Defuma este filho,
Na graça de Deus!

074

“Ó minha Zâmbi!
Ó minha Zâmbi!
Me fecha a porta,
Me abre o terreiro!
Minha Zâmbi!
Minha Zâmbi!
Me fecha a porta,
Me abre o terreiro!”

075

Abrindo a minha engira,
Com Zâmbi e com Xangô!
Abrindo a minha engira,
Com Zâmbi e com Xangô!
Saravá, seu Alafim!
Saravá, seu Agodô!
Saravá, seu Alafim!
Saravá, seu Aganjú!

076

Xangô,
Delokê, eh! eh!
Xangô, de lê oh!
Longe, bem longe...
Onde o sol raiou!
Saravá Umbanda!
Saravá Xangô!
Saravá Umbanda!
Saravá Xangô!

077

Estava sentado na pedra...
Quando Xangô me chamou!
Estava sentado na pedra...
Quando Xangô me chamou!
Kaô! Kaô! Kaô, cabecilê!

078

Xangô é corisco!
Nasceu da trovoada!
Xangô é corisco!
Nasceu da trovoada!
Ele mora na pedreira,
Levanta de madrugada!
Ele mora na pedreira,
Levanta de madrugada!

079

Xangô é rei de Ioruba!
Xangô é da pedreira!
Xangô é rei dos astros!
Xangô é rei de Umbanda!
Os teus filhos te chamam:
Xangô! Xangô!
Xangô, Agodô!

080

Lá no alto daquela pedreira...
Há um livro que é de Xangô!
Xangô! Xangô!
Xangô, Agodô!

081

Ó rei do mundo!
Ó rei do mundo!
Xangô mandou girar...
Mandou girar...
Mas é com fé!

082

Pe... rê... rê... Xangô,
Ó poranga!
Toma conta do teu tamborim.
Pe... rê... rê... Xangô,
Ó poranga!
Toma conta do teu tamborim.

083

Oh! Ganga oh!
A terra é de Jurema...
O leão é lá das matas...
A pedra é tão forte...
E o rei é Xangô!

084

Sua machada é de ouro,
Sua machada é de ouro,
É de ouro!
É de ouro!
Machadinha que corta mironga...
É machadinha de Xangô!
Machadinha que corta mironga...
É machadinha de Xangô!

085

Xangô abiribou na aldeia,
Xangô abiribou na aldeia!
Oh! Munhanha!
Oh! Quirombô!
Oh! Munhanha!
Oh! Quirombô!

086

Todo povo de Xangô...
Todo o povo de Iansã...
Chegou aqui na terra,
E acabou a guerra!

087

Trovoada que vai...
E o que vem!
É o brado do velho Xangô!
Agodô!

088

Quem rola a pedra...
Na pedreira...
É Xangô!
Quem rola a pedra...
Na pedreira...
É Xangô!
Vivô, na coroa de Zâmbi!...
Vivô, na coroa de Zâmbi!...
É Xangô!

089

No portão do Cariri...
Eu vi Xangô sentado!
Mão Oxum e Iemanjá...
Ogum e Oxóssi ao seu lado!
No portão do Cariri!

090

Hoje tem alegria!
Hoje tem alegria!
Hoje tem alegria!
Na fé de Xangô!
Hoje tem alegria!

091

Senhor dono da casa,
Me dá licença de entrar!
Minha banda é de Xangô, eh!
É de Zâmbi e Oxalá, eh!

092

Senhor dono do reino...
Cambono, samba, alufá!
Ogã e toda a curimba,
Me dá licença de entrar! eh!

093

Saravando a sua banda,
Peço licença a Xangô!...
Bacuros dá licença,
Cambono e Babalaô, eh!

094

Licença oh!
Licença, ah!
Licença, tem,
Babá de Umbanda!
Licença, tem!
Licença oh!
Licença, ah!
Licença, tem,
Ogã de Umbanda!
Licença, tem!
Licença oh!
Licença, ah!
Licença, tem,
Bacuros de pemba!
Licença, tem!
Licença oh!
Licença, ah!
Licença, tem,
Quem vem de outro reino!
Licença, tem!

095

A chave do céu é de Alufam!
As almas não choram, não choram...
Ele vai caminhar para o céu...
As almas não choram, não choram...
Xangô! Xangô!
Xangô Alufam!

096

Vinde, vinde mensageiros,
De Zâmbi e de Xangô!
Odê, indá iolô...
Batizai este filho!
Odê, indá iolô...
Na fé, meu Pai Agodô!

097

Chove rosas no Congá!
Salve Obá!
Sindalilí!
Salve Xangô Abomi!
Salve Xangô Djacutá!
098

PONTOS DE DESPEDIDA

Adeus Umbanda!
Umbanda de alegria!
Fiquem com Zâmbi,
E Xangô que é nosso guia!
Até outro dia!

099

Salve Xangô AbomÍ!
Salve Xangô Djacutá!
Ele já vai embora...
Ele vai nos deixar!
Ele já vai embora...
Ele vai nos deixar!
Vai na fé de Xangô, eh!
Ele vai, mas torna a voltar!
Vai na fé de Xangô, eh!
Ele vai, mas torna a voltar!

100

“Adeus, preto véiu...
Adeus!
A banda lhe chama...
Ele vai oló!
Ele vai oló!

Adeus!
Meus zinfio, adeus!
Segura a engira de Djacutá!
Adeus!
Véiu vai oló!
Segura a engira de Djacutá!

Quando o chefe sobe...
Quando vai embora...
Ninguém fica dentro,
Ninguém fica fora!

101

Pai Xangô, vai pra mina,
Ele é orixá. (bis)
Iá, ié, iá, iá,...
Pai Xangô vai pra mina de Oxalá.

102

Meu Pai Xangô,
Deixa esta pedreira aí! (bis)
A Umbanda está lhe chamando,
Deixa esta pedreira aí! (bis)

103

Meu Pai Xangô,
Já birimbou na aldeia...
Xangô já birimbou na aldeia! (bis)

104

Xangô já vai,
Já vai pra Aruanda!
Xangô já vai,
Já vai pra Aruanda!
A bênção meu pai,
Proteção pra nossa banda! (bis)

105

PONTO DE XANGÕ

Estava dormindo lá na serra,
Quando minha mãe me chamou...
Acorda é hora!
E venha ver o brado de Xangô.

106

Déo, déo, decá, Kaô...
Déo, déo, decá Xangô. (bis)

107

PONTO DE XANGÕ CRUZADO
(chamada)

Xangô tem seu nome na pedra!
Ogum tem a sua lança!
Oxóssi a sua flecha!
E Miguel a sua balança!

108

PONTOS DE XANGÔ

Uma pedra, um riacho,
E as matas pra caçar...
A pedreira é de Xangô,
O riacho é de Iemanjá,
E as matas, é pra quem sabe atirar!
Saravá Xangô, saravá Iemanjá!

105

O Gino, olha sua mata!...
O Gino, olha o seu congá!
Aonde o rouxinol cantava...
Aonde Xangô morava... (bis)
Ele tirou da cobra coral,
Kaô.

106

XANGÔ SETE PEDREIRAS

Lá em cima daquela serra,
Tem uma linda cachoeira!...(bis)
Mas ela é de Xangô Kaô,
E de Xangô Sete Pedreiras.
Ela é de Xangô Kaô,
E de Xangô Sete Pedreiras.

107

PONTOS DE SÃO JOÃO BATISTA
( XANGÔ ABOMI )

PONTO DE ORI DO ORIENTE

Ori, Ori, Ori do Oriente...
Ori chegou meu pai!
Ori baixou minha gente,
Ori, vem de Aruanda,
Vem salvar filhos de Umbanda...
Ori, Ori, Ori do Oriente...

108

SÃO JOÃO BATISTA

São João Batista vem,
Minha gente,
Vem chegando de Aruanda.
Salve a fé e a caridade!
Salve o Povo de Umbanda!
São João Batista vem,
Minha gente,
Vem chegando de Aruanda.
Salve o povo cor de rosa!
Salve os filhos de Umbanda!

109

PONTO DE ZARTU – HINDU

Brilhou um clarão no céu...
Oi meu Deus o que será?
É Zartu chefe indiano,
Que vem nos ajudar.
E vem com sua falange,
Para todo mal levar.

110

PONTO DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS
( SIMIROMBA )

Com a cruz na mão, Simiromba,
Com a cruz na mão, Simiromba,
Como ele vem contente, Simiromba,
Trazendo a nossa redenção, Simiromba.

Simiromba vem, Simiromba...
Trazendo a nossa redenção, Simiromba...
Ele vem contente, Simiromba...
Trazendo a sua cruz na mão, Simiromba!...

112

PONTOS DE SÃO LÁZARO

OMULU, XAPANÃ, OBALUAIÊ

Ai Cangira Mungongó,
Cangira Mungongó...
É de Saçanguai, auê. (bis)

113

Dé, dé, é dá é dé...
Ora dança Omulu!...
É dé é dá. (bis)

114

Na Vila Nova tem caiaia,
Auê, na Vila Nova.
Vila Nova de Murumbá,
Auê, na Vila Nova. (bis)

115

Oxalá, meu pai, tem pena de mim,
Tem dó...
A volta do mundo é grande,
Zâmbi é maió.
Oxalá meu pai.

116

João Pepé, é Dom Luanda,
João Pepé é de Aruanda. (bis)

117

Obaluaiê, olha sua filha...
O senhor tem força,
Dê forças a ela.
A vós lhe chama,
Abaluaiê,
Ajude esta cambona.

118

O Velho Omulu,
Vem chegando devagar.
Apoiado no seu cajado,
Vem na banda saravá.
Omulu Dê,
Senhor da terra,
Atotô Abaluaiê.

119

PONTOS DE SÃO MIGUEL ARCANJO
( ODÊ ) (Anjo da Guarda de São João)

PONTO DE OGUM ( Na irradiação de São Miguel, início dos trabalhos e cruzamento dos terreiros )

Olha Ogum tá de ronda,
Quem está chamando é São Miguel.
Réu, réu, réu, na mesa de Umbanda,
Quem está chamando é São Miguel. (bis)

120

Olha Ogum tá de ronda,
Miguel está chamando.
Eu não sei onde é, é, é,
Eu não sei onde é, é, é. (bis)

121

PONTO DE SÃO MIGUEL NUM PEDIDO DE PROTEÇÃO E FORÇA ESPIRITUAL

Jesus e Maria, São João e São José...
São Pedro abriu o Céu,
Para aqueles que têm fé.
Ó, São Miguel Arcanjo,
Por Deus se sois quem é,
Rogai ao nosso Pai,
Para aumentar a nossa fé.

122

Oi viva São Miguel!
Oi viva São Miguel!
Ele é zi rei congo,
Ele é São Miguel.
Ele é de balança,
Ele é São Miguel.
Ele é quem pesa as almas,
Ele é São Miguel.
Ele gira na calunga,
Ele é São Miguel.
Ele gira na Umbanda,
Ele é São Miguel.

123

PONTO DE SÃO GABRIEL
( Anjo da Guarda de Jesus )

Viva a falange do caboclo Guaraci!
Deus do Céu permita,
Que eles venham até aqui.
Viva Jupá, Itatiaia e Poti!
Viva as estrelas, viva o sol!
Salve Blazô e viva Guaraci!
Viva as estrelas, viva o sol!
Viva o Cruzeiro!
Salve Gabriel,
Que baixou neste terreiro!

124

PONTO DE DEFUMAÇÃO

Povo de Umbanda,
Vem ver os irmãos teus,
Defuma esses filhos,
Nas horas de Deus.

125

ARCANJO SÃO RAFAEL
(Anjo da Guarda de Maria)

Ora viva São Rafaé,
Na Linha de Umbanda!
Que vem saravá.
Ora viva São Rafaé,
Na canjira de preto!
Ele vem trabaiá.

126

FILHO DE XANGÔ

Uns dizem que meu pai é de Alafim,
Outros dizem que meu pai é Zambará. (bis)

Mas eu sou filho é de Xangô.
Le, le, le, le, o Kaô...
Le, le, le, le, o Kaô...
Le, le, le, le, o Kaô...
Le, le, le, le, o Kaô...

127

SUBI A SERRA COM XANGÕ

Dizem que meu pai Xangô é de Alafim,
Dono do meu destino até o fim. (bis)
Se um dia eu perder a fé no meu Xangô,
Que role essa pedreira sobre mim.

Subi a serra acompanhado de meu pai
Xangô. (bis)
No lugar onde ele passa,
Oi corre água e nasce flor. (bis)

128

NA MARAMBAIA

Eram dez horas,
Quando o sino tocava,
Na Marambaia,
Cidade da Jurema.

Eram dez horas,
Quando o sino tocou,
Com licença de Zâmbi,
Saravá meu pai Xangô. (bis)

129

XANGÔ DAS ALMAS

Ele é Xangô das Almas,
Ele é feito nas Almas. (bis)

Oh Almas, oh minhas Almas,
Seu Agodô que venha nos valer. (bis)

130

PEGA NO LIVRO

Pega no livro e vai lendo,
Pega na pena pra escrever. (bis)

Kaô, Kaô,
Saravá Umbanda,
Seu Alafim, seu Agodô. (bis)

131

VAI PRA ARUANDA

(subida de Xangô)

Xangô já vai, já vai pra Aruanda. (bis)

A benção meu pai,
Proteção pra nossa banda. (bis)

(depois de Xangô subir)

Xangô já foi, já foi pra Aruanda. (bis)

A benção meu pai,
Proteção pra nossa banda. (bis)

132

PONTO PARA QUEIMA DE PÓLVORA

Ayaumbê, Xangô Kamwkay,
Ayaumbê, Xangô Kamwkay,
Ayaumbê, Xangô Kamwkay,
Olha o Yayumbê, Xangô Kamwkay.

133

YAO DARUMÊ

Eh!... eh!... eh!... Darumê!...
Eh!... eh!... eh!... Darumê!...
Eh!... eh!... eh!... Bis

Nasceu num dia de luz,
Na pedra de um Velho Kaô,
Na roça do Xangô de Ouro,
Um barco de seis Yaô.

Eh!... eh!... eh!... Darumê!...

Darumê reza a Oxalá,
Pede amor e proteção,
E suplica a Iemanjá,
Que abençoe os seus irmãos.

Eh!... eh!... eh!... Darumê!...

É filho de um Baluaê!...
É filho de um Baluaê!...
É filho de um Baluaê!...
É filho de um Baluaê!...

134

PAI DE SANTO É XANGÔ

Dizem que teimoso na Bahia,
É Pai de Santo...
Pai de Santo ninguém lhe chamou,
Lá na encruzilhada ele é rei,
Pai de Santo é Xangô.

Ierê... ierê... ô Kaô
Ê... ierê... ierê... ô Kaô.
Ierê... ierê... ô Kaô
Ê... ierê... ierê... ô Kaô.
Pai de Santo é Xangô.
135

XANGÔ – CD 05

Kaô Cabeci ! Kaô Cabeci !

Dizem que Xangô mora na pedreira,
Mas não é lá sua morada verdadeira. (bis)

Xangô mora numa cidade de luz,
Onde mora Santa Bárbara,
Oxumaré e Jesus. (bis)

136

Kaô Cabeci ! Kaô Cabeci !

Quem rola pedra na pedreira é Xangô. (bis)
Xangô do Acarajé, do Acarajé.
Xangô do Acarajé, do Acarajé. (bis)

137

Kaô Cabeci ! Kaô Cabeci !

Meu Pai Xangô olha seus filhos !
Que eu também sou filho seu ! (bis)
Seu Atotô, Iemanjá Doiá ! (bis)

138

CD – PONTOS DIVERSOS

09-BATE BATE PRÁ XANGÔ

Bate, bate pra Xangô! (bis)
Bate, bate prá Xangô! (bis)

Xangô é o Rei da Justiça,
Xangô é o Rei da Pedreira,
Xangô batizou os seus filhos,
Com a água da cachoeira. (bis)

139

10-ESTAVA OLHANDO A PEDREIRA

Estava olhando a pedreira,
Uma pedra rolou. (bis)

Ela veio rolando,
Bateu em meus pés e se fez uma flor. (bis)

Quem foi que disse,
Que eu não sou filho de Xangô. (bis)
Ele mostra a verdade,
Se atira uma pedra ela vira uma flor. (bis)
Toda verdade de justiça e proteção. (bis)
Filho de Pai Xangô ninguém joga no chão. (bis)
Quantos lírios já plantei no meu jardim. (bis)
Uma pedra atirada é um lírio pra mim. (bis)

140

11-SALVE O REI DA CACHOEIRA

Quando tiver lua cheia no céu,
Vou a pedreira Kaô Cabeci,
Sentar nas pedras Xangô saravar,
Sua oferenda levar. (bis)

Segura o ponto meu Pai,
Que estou com a pemba na mão,
Papai Xangô, sempre minha proteção.
Pai Xangô vence demanda,
Meia noite na pedreira,
Com licença de Oxalá,
Salve o Rei da Cachoeira!

141

12-MEU PAI SÃO JOÃO BATISTA

Meu Pai São João Batista é Xangô,
Dono do meu destino até o fim. (bis)

Quando me faltar a fé no meu senhor,
Derruba esta pedreira sobre mim. (bis)

Subi a serra acompanhando Pai Xangô. (bis)
No lugar onde ele passa nasce água e nasce flor. (bis)

142

13-SAI DA SALA XANGÔ

Se Xangô é teu pai vai lhe dar proteção. (bis)
Em sua defesa ele tem a pedreira,
E para lhe guardar ele tem o leão. (bis)

Se o filho lhe chama Xangô,
Sob o sol sob a lua,
Pode ter a certeza a vitória é sua.
Kaô ! Saudação a Xangô,
E em todo terreiro,
Ele é Pai Justiceiro.

143

14-SALVE SEU 7 PEDREIRAS

Salve o Seu 7 Pedreiras,
E saravá meu Pai Xangô,
Ele é o dono da justiça,
Abenção meu pai agô. (bis)

Kaô, Kaô, Kaô meu Pai,
Oi, lé, lé, lé, meu Pai é Rei,
Na Umbanda e no Candomblé. (bis)

Salve o Xangô na pedreira,
Salve o corisco e o trovão,
Salve a pena dourada,
Salve a força do leão,
Salve o céu e salve a terra,
Salve o Papai Oxalá,
Salve a força do machado,
Do meu Pai Xangô Airá.

144

SÃO MIGUEL PONTO DE CHAMADA
(Wanderley Martins)

Salve abertura dos trabalhos !
Salve São Miguel !

São Miguel, São Miguel,
São Miguel está chamando. (bis)

Dai-me força oi São Miguel,
Oi pra chamar os Caboclos da Umbanda. (bis)

145

PONTO CABOCLO VENTANIA
(Isaura da Bahia)
Saravá Xangô ! Kaô !
Saravá Seu Ventania !

Eu sou Ventania de Umbanda, de Umbanda,
Eu sou filho redentor. (bis)

Mas quando eu chego da Aruanda,
É para Saravá com licença de Oxalá.
Mas quando eu chego da Aruanda,
É pra Saravá com licença de Xangô. (bis)

146-SEGURA A PEDRA XANGÔ

Segura a pedra Xangô,
Não deixa a pedra rolar,
Pega no livro e na pena,
Para a justiça firmar.

147-A MORADA DE XANGÔ

Que pedreira tão alta,
Quem nem limo criou,
Oh não me quebra a pedra,
Que é a morada de Xangô.

148-XANGÔ ARIRI

Seu Ariri, Ariri, Ariri,
Seu Ariri,
Ele é o Rei da Mata Virgem,
Aonde o sabiá cantava,
Na pedra onde Xangô morava.

149-QUANDO A LUA APARECE

Quando a lua aparece,
Leão na mata urrou,
A passarada estremece,
Olha a coral que piou, piou, piou,
Olha a coral que piou.
Salve o Povo de Ganga, ô
Chegou seu Rei de Umbanda,
Sarava nosso Pai Xangô.

150-XANGÔ É REI DA PEDREIRA

Oxóssi é Rei da mata,
Xangô é Rei da Pedreira,
Iansã da Ventania,
Mãe Oxum da Cachoeira.
Xangô, Xangô,
Xangô, Kaô, Kabeci.

 

151- ESTAVA OLHANDO
A PEDREIRA

Estava olhando a pedreira,
Uma pedra rolou. (bis)

Ela veio rolando,
Bateu em meus pés e se fez uma flor. (bis)

Quem foi que disse,
Que eu não sou filho de Xangô. (bis)
Ele mostra a verdade,
Se atira uma pedra ela vira uma flor. (bis)
Toda verdade de justiça e proteção. (bis)
Filho de Pai Xangô ninguém joga no chão. (bis)
Quantos lírios já plantei no meu jardim. (bis)
Uma pedra atirada é um lírio pra mim. (bis)

152-SALVE O REI DA CACHOEIRA

Quando tiver lua cheia no céu,
Vou a pedreira Caô Cabeci,
Sentar nas pedras Xangô saravar,
Sua oferenda levar. (bis)

Segura o ponto meu Pai,
Que estou com a pemba na mão,
Papai Xangô, sempre minha proteção.
Pai Xangô vence demanda,
Meia noite na pedreira,
Com licença de Oxalá,
Salve o Rei da Cachoeira!

 

VOLTAR